Visitante

Olá visitante. Cadastre-se | Entre | Esqueci minha senha

OK Esqueci minha senha


Você está em: Sobrenatural.Org -> Notícias -> INCUBUS/SUCUBUS


Notícias - Enviado dia 28 de Abril de 2005

INCUBUS/SUCUBUS


Li muitos relatos sobre essas criaturas (no seu site) e fiquei sem entender o que são por isso estou mandando essa matéria para as pessoas entenderem e lutar contra isso. INCUBUS/SUCUBUS : O incubus era uma figura demoníaca intimamente associada ao vampiro. Era conhecida pelo hábito de invadir o quarto de uma mulher à noite, deitar-se sobre ela para que seu peso ficasse bem evidente sobre seu peito, forçando-a a fazer sexo. O sucubus, a contra-parte feminina do incubus, atacava os homens da mesma maneira. A experiência do ataque de um destes seres variava do extremo prazer ao absoluto terror. O incubus/sucubus se parecia com um vampiro, na medida em que atacava as pessoas durante a noite enquanto dormiam. Freqüentemente atacava a mesma pessoa noite após noite, como o vampiro dos ciganos, deixando suas vítimas exaustas. Entretanto era diferente do vampiro, no sentido de que não sugava sangue e não roubava a energia vital. O incubus parece Ter se originado na antiga prática de incubação, onde uma pessoa ia ao templo de uma divindade e lá pousava. No decurso da noite, a pessoa teria um contato com a divindade. Muitas vezes esse contato envolvia relações sexuais, ou na forma de sonho ou com um dos representantes da divindade. Muitas vezes esses contatos envolviam relações sexuais, em sonhos, ou um representante humano. Isso estava na raiz de diversas práticas religiosas, incluindo a prostituição nos templos. A religião de incubação mais bem sucedida estava ligada a Esculápio, um deus da cura que se especializara, entre outras coisas, em curar a esterilidade. O cristianismo, que comparou as divindades pagãs aos seres demoníacos, encarava essa prática de relações com uma divindade como uma forma de atividade demoníaca. Através dos séculos duas principais correntes de opinião sobre as origens dos incubus e sucubus competiam uma contra a outra. Alguns a viam como sonhos, invenções de uma vida fantasiosa da pessoa que experimentava tais visitações. Outros argumentavam a favor da existência objetiva dos espíritos malignos. No século 15 os líderes religiosos, especialmente os que estavam ligados à inquisição, preferiam esta última explicação, ligando a atividade destes seres com a bruxaria. O grande instrumento dos caçadores de bruxas, Malleus Maleficarum (Martelo das Bruxas) supunha que todas as bruxas se submetiam voluntariamente aos incubus.





Avalie Comente Marque como Favorito Recomende


Opiniões

16 Comentário(s).
  • Comentário que os leitores mais gostaram:

    Emílio Prado

    Emílio Prado | 4 de Agosto de 2009 | Escreva para o autor do comentário

    23 leitores gostaram da opinião | 9 reprovaram a opinião

    Queria lembrar que as relações sexuais entre divindades e humanos foi muito comum entre as crenças gregas e romanas, assim como ainda é hoje no hinduismo (tantra e kama sutra). Temos que tomar cuidado com a visão católica carregada de condenação da atividade sexual, lembramos então que o sexo para os antigos era vida, e relações entre divindades e homens fazim parte da vida.
    Muitos depoimentos sobre abdução possuiem caráter sexual, lembramos a concepção de Maria pelo anjo Gabriel e do culto dos exus e pombagiras nos terreros brasileiros...
    A vida é uma relação erótica...por que com os deuses seriam diferente!?

    Gostei desta opinião | Opinião reprovada


    Responder este comentário

Mostrando as 5 primeiras.
Ver todas as 16 opiniões.



Comente

Somente usuários logados podem enviar opiniões...

Você já é um usuário cadastrado no site Sobrenatural.Org? Se sim, faça seu login abaixo. Caso contrário, clique aqui para efetuar o cadastro.

QUEM ENVIOU ESTE CONTEÚDO:

Vanessa M

Vanessa M

ESPECIAL ASSOMBRADO.COM.BR


NOSSO BLOG



PUBLICIDADE

NOVIDADES DA LOJA SOBRENATURAL


PRODUTOS DA LOJA SOBRENATURAL

DIRETO AO ASSUNTO

INTERATIVAIDADE

http://bs.serving-sys.com/BurstingPipe/adServer.bs?cn=tf&c=19&mc=imp&pli=8942288&PluID=0&ord=[timestamp]&rtu=-1