Visitante

Olá visitante. Cadastre-se | Entre | Esqueci minha senha

OK Esqueci minha senha


Você está em: Sobrenatural.Org -> Relatos -> Zumbis (ou a lenda dos mortos-vivos)


Relatos - Enviado dia 13 de Dezembro de 2010

Zumbis (ou a lenda dos mortos-vivos)


* Conteúdo ainda não verificado pelo site Sobrenatural.Org, assim, não garantimos o conteúdo escrito nem a qualidade ortográfica da informação. Pedimos para os usuários que se copiarem informações de outros sites, cite e link para a fonte, mas muitas vezes não fazem. Se a informação é de sua autoria, nos comunique para colocarmos os devidos créditos. Outros problemas, entre em contato.


Vida após a morte: mito ou realidade?
Desde que temos notícias a humanidade tem procurado saber o que acontece depois da morte. A Bíblia nos diz que depois da morte vem o juízo (Hb 9:27) e que depois do julgamento só existem dois destinos: Céu ou Inferno. Mas algumas seitas têm aparecido tentando convencer a humanidade de que existem outras opções, de que a Bíblia está errada.
Um desses destinos alternativos para as almas é o zumbi. Também chamados de mortos-vivos, atualmente admitem-se 3 origens para um zumbi: uma pessoa contaminada por algum tipo de vírus; uma alma que, sem lugar no inferno, fica condenada a vagar pela terra em um corpo putrefato; ou uma pessoa, morta ou viva, feita zumbi através de um feitiço vodu. Como os vampiros e lobisomens, os zumbis se converteram em personagens freqüentes de manifestações populares. RPGs, quadrinhos, jogos e filmes de terror. Entre estas se destaca o evento denominado Zombie Walk, no qual os participantes caminham pelas ruas das cidades trajando vestes e maquiagem de zumbi.


Inferno lotado!? Vírus!?


Ainda na década de 60, George Romero criou um estilo de zumbi com seus filmes. Almas de pessoas mortas chegavam ao inferno e não encontravam lugar para ficar; eram obrigados a retornar para seus corpos mortos, obedecendo somente ao instinto de se alimentar. De carne humana, é claro; e cada pessoa que é mordida por um zumbi morre em algumas horas, vai ao inferno e retorna como mais um zumbi. Esse tipo de zumbi ficou consagrado em A noite dos mortos-vivos (Night of the living dead), Despertar dos mortos (Dawn of the dead), Dia dos mortos (Day of the dead) e Terra dos Mortos (Land of the Dead), filmes que estabeleceram Romero como diretor de filmes de zumbi e referência no gênero.
Ainda mais recentes são os zumbis criados pro algum tipo de vírus resultante de experiências genéticas. Imortalizados pelos filmes e jogos da série Resident Evil (morador do mal, ou hóspede maldito conforme a tradução do nome do filme). Algum tipo de pesquisa científica macabra cria um vírus capaz de matar as pessoas em questão de horas e reanima os seus corpos depois de mortas. O vírus é transmitido através da mordida, e os zumbis mais uma vez estão sempre em busca de seu alimento preferido: carne humana.
Um grande consenso entre os criadores desses dois tipos de zumbi é que ambos podem ser “mortos” tendo suas cabeças destruídas ou separadas do corpo.


Ritual Vodu


Mas, o que é o Vodu ?


Vodu (em Dahomey “vodun”, ‘espírito’), crença religiosa majoritária no Haiti, que também é praticada em Cuba, Trinidad, Brasil e no sul dos Estados Unidos, sobretudo na Louisiana. O vodu combina elementos do cristianismo primitivo, do catolicismo e de religiões tribais da África ocidental, particularmente Benín. Os cultos vodu veneram um deus principal, o Bon Dieu; os ancestrais ou, mais geralmente, os mortos; os gêmeos e os espíritos chamados loa. Os loa, que podem variar de um culto a outro segundo o país, são deuses tribais africanos que se identificam com santos do cristianismo. O deus serpente, por exemplo, é ligado a são Patrício. Outros elementos católicos no vodu incluem o uso de velas, sinos, cruzes e orações, assim como a prática do batismo e o sinal da cruz. Entre os elementos africanos estão a dança, os tambores e a veneração de ancestrais e gêmeos.
Os rituais do vodu estão dirigidos cuidadosamente por um sacerdote ou santo, chamado houngan, ou uma sacerdotisa, chamada mambo.Maio é o período do ano mais ativo para os adeptos do vodu, pois é quando se intensifica o ritual e magias em busca da “felicidade”.
Nos Estados Unidos, por exemplo, o vodu é praticado há mais de cem anos nos Estados de Louisiana e Mississipi. No Haiti, quase toda a população se envolve com o vodu – o país tem o voduísmo como religião oficial. Já no Brasil, o seu exercício foi veiculado com grande sincretismo, pois se misturou ao catolicismo nordestino e aos cultos afros.
Quando pensamos em vodu, sempre nos vem à mente bonecos sendo espetados por agulhas. Este conceito pode ser visto até mesmo em um recente comercial de TV, onde uma garota faz uma magia contra um rapaz lançando mão de uma prática vodu. Contudo, esse grupo religioso misterioso envolve muito mais que isso.


Cerimoniais vodu


Geralmente, as cerimônias são realizadas no período noturno. Fazem parte do ritual: bebidas de rum, frutas e jarros de barros. As bebidas e comidas são erguidas e oferecidas aos loas, para invocá-los. No intuito de alegrar essas entidades, os voduístas lhes oferecem também sacrifícios de aves, porcos, galinhas, bodes. Após as oferendas com danças, os loas possuem os corpos de seus súditos. É interessante que nas possessões os indivíduos não possuem consciência daquilo que fazem e não se lembram de nada após o término do ritual.
No vodu, como na Umbanda, as danças em volta da ponteau-mitan são de suma importância, pois servem para se obter a espiritualidade: as pessoas que envolvem com a dança são mais rapidamente possuídas. Para cada divindade existe um tipo de música, instrumento e ritmos específicos, segundo o gosto de cada loa, que exige que tudo seja purificado e consagrado para o ritual.
As serpentes também fazem parte de alguns cerimoniais. No ritual chamado mambo, o réptil é retirado de um cesto e posto bem próximo do rosto da sacerdotisa que, ao tocar no animal, recebe, supostamente, visão especial e poderes sobrenaturais. Segundo a crença vodu, os primeiros homens criados eram cegos e foi justamente a serpente que conferiu visão à espécie humana.


E o que é um Zumbi?


Nas tradições vodu, um zumbi é: um ser humano a quem um bokor (sacerdote ou sacerdotisa) roubou o ti bon ange (alma menor). Este roubo é feito mediante técnicas de magia negra quando a pessoa está morrendo, e imediatamente depois de morrer. O ti bon ange é conservado em uma garrafa pelo ladrão, que a partir desse momento tem controle absoluto do corpo da pessoa morta. Esta carece de pensamento e controle autônomo, de modo que pode ser manejada como um escravo total e absoluto por parte do ladrão. Com o passar do tempo, o zumbi vai deteriorando-se, como se apodrecesse, e finalmente seu corpo acaba por morrer também. Em países onde esta religião é muito difundida é corrente dizer que pessoas de muito sucesso têm zumbis aos seus serviçosO zumbi se converte assim em escravo do houngan, servindo-o em um estado de transe cataléptico como ‘morto vivo’. Acredita-se que os ghede (espíritos dos mortos que usam chapéus de copa) também podem criar zumbis.


Contra o vodu


A prática vodu é feitiçaria sem maquilagem. A Bíblia identifica tais práticas como cultos demoníacos. A história relata que a igreja primitiva teve de ser submetida a constantes advertências por parte dos apóstolos porque os cristãos daquele tempo eram seduzidos a buscar nos feitiços e magias a “felicidade”. Hoje em dia, é isso o que constatamos entre aqueles que não têm suas vidas regidas pela Palavra de Deus. A Bíblia é expressa em apresentar sua oposição aos sacrifícios dos cultos afro-brasileiros ou voduístas: “Que digo pois? Que o sacrificado ao ídolo é alguma coisa? Ou que o próprio ídolo tem algum valor? Antes, digo que as coisas que eles sacrificam é a demônios que a sacrificam e não a Deus…” (1Co 10.19,20).
Para que possamos alcançar bênçãos, curas e outros benefícios, seja para nós ou para nossos amigos, parentes ou irmãos, não precisamos confeccionar nem “energizar” nenhum objeto, principalmente bonecos. Tampouco devemos ter medo de magias, pois a Bíblia nos assegura que contra os crentes o encantamento é inválido, não tem eficácia (Nm 23.23). Quando precisarmos de algo, devemos recorremos ao Senhor nosso Deus, colocando diante dele nossas necessidades (Mt 21.22; Mc 11.24). Somos purificados pela luz divina e não por meio de rituais tenebrosos; para tanto, devemos apenas andar na presença de Deus, mantendo comunhão uns com os outros. Agindo assim, o sangue de Jesus nos purifica de todo o pecado (1Jo 1.7).
Muitos brasileiros (inclusive alguns crentes, infelizmente) possuem certa tendência ao misticismo, o que os leva a assediar o oculto, e isso os torna vítimas de seus próprios desejos. Os crentes com essa tendência devem a todo custo resistir a tais ensinos e seguir a receita básica diária para a sua vida espiritual: leitura bíblica, oração, testemunho e santificação. Somente assim conseguirão sair vitoriosos diante das setas inflamadas do diabo.


Estes são alguns relatos adquiridos pra uma visão mais ampla sobre algumas seitas que estão no meio e nos não nos damos conta, pensamos que ate e uma simples brincadeira, mas esta por ai causando muito estrago, principalmente no meio cristão.
Aos interessados em saber mais sobre vodu e crenças ocultas, segue uma relação de obras interessantes e alguns sites:


Dicionário de religiões, crenças e ocultismo, de Nichols & Mather, Editora Vida, 2000.
O império das seitas, de Walter Martin, Editora Betânia, 1993.
Entendendo o oculto, de Mcdowell & Stewart, Editora Candeia, 1996.
Os fatos sobre os espíritos guias, de Ankerberg & Weldon, Chamada da Meia-Noite, 1996.
www.icp.com.br – Instituto Cristão de Pesquisas
www.cacp.com.br - Centro Apologético Cristão de Pesquisas.


 


 


 


Zumbis (ou a lenda dos mortos-vivos)Vida após a morte: mito ou realidade?
Desde que temos notícias a humanidade tem procurado saber o que acontece depois da morte. A Bíblia nos diz que depois da morte vem o juízo (Hb 9:27) e que depois do julgamento só existem dois destinos: Céu ou Inferno. Mas algumas seitas têm aparecido tentando convencer a humanidade de que existem outras opções, de que a Bíblia está errada.
Um desses destinos alternativos para as almas é o zumbi. Também chamados de mortos-vivos, atualmente admitem-se 3 origens para um zumbi: uma pessoa contaminada por algum tipo de vírus; uma alma que, sem lugar no inferno, fica condenada a vagar pela terra em um corpo putrefato; ou uma pessoa, morta ou viva, feita zumbi através de um feitiço vodu. Como os vampiros e lobisomens, os zumbis se converteram em personagens freqüentes de manifestações populares. RPGs, quadrinhos, jogos e filmes de terror. Entre estas se destaca o evento denominado Zombie Walk, no qual os participantes caminham pelas ruas das cidades trajando vestes e maquiagem de zumbi.


Inferno lotado!? Vírus!?


Ainda na década de 60, George Romero criou um estilo de zumbi com seus filmes. Almas de pessoas mortas chegavam ao inferno e não encontravam lugar para ficar; eram obrigados a retornar para seus corpos mortos, obedecendo somente ao instinto de se alimentar. De carne humana, é claro; e cada pessoa que é mordida por um zumbi morre em algumas horas, vai ao inferno e retorna como mais um zumbi. Esse tipo de zumbi ficou consagrado em A noite dos mortos-vivos (Night of the living dead), Despertar dos mortos (Dawn of the dead), Dia dos mortos (Day of the dead) e Terra dos Mortos (Land of the Dead), filmes que estabeleceram Romero como diretor de filmes de zumbi e referência no gênero.
Ainda mais recentes são os zumbis criados pro algum tipo de vírus resultante de experiências genéticas. Imortalizados pelos filmes e jogos da série Resident Evil (morador do mal, ou hóspede maldito conforme a tradução do nome do filme). Algum tipo de pesquisa científica macabra cria um vírus capaz de matar as pessoas em questão de horas e reanima os seus corpos depois de mortas. O vírus é transmitido através da mordida, e os zumbis mais uma vez estão sempre em busca de seu alimento preferido: carne humana.
Um grande consenso entre os criadores desses dois tipos de zumbi é que ambos podem ser “mortos” tendo suas cabeças destruídas ou separadas do corpo.


Ritual Vodu


Mas, o que é o Vodu ?


Vodu (em Dahomey “vodun”, ‘espírito’), crença religiosa majoritária no Haiti, que também é praticada em Cuba, Trinidad, Brasil e no sul dos Estados Unidos, sobretudo na Louisiana. O vodu combina elementos do cristianismo primitivo, do catolicismo e de religiões tribais da África ocidental, particularmente Benín. Os cultos vodu veneram um deus principal, o Bon Dieu; os ancestrais ou, mais geralmente, os mortos; os gêmeos e os espíritos chamados loa. Os loa, que podem variar de um culto a outro segundo o país, são deuses tribais africanos que se identificam com santos do cristianismo. O deus serpente, por exemplo, é ligado a são Patrício. Outros elementos católicos no vodu incluem o uso de velas, sinos, cruzes e orações, assim como a prática do batismo e o sinal da cruz. Entre os elementos africanos estão a dança, os tambores e a veneração de ancestrais e gêmeos.
Os rituais do vodu estão dirigidos cuidadosamente por um sacerdote ou santo, chamado houngan, ou uma sacerdotisa, chamada mambo.Maio é o período do ano mais ativo para os adeptos do vodu, pois é quando se intensifica o ritual e magias em busca da “felicidade”.
Nos Estados Unidos, por exemplo, o vodu é praticado há mais de cem anos nos Estados de Louisiana e Mississipi. No Haiti, quase toda a população se envolve com o vodu – o país tem o voduísmo como religião oficial. Já no Brasil, o seu exercício foi veiculado com grande sincretismo, pois se misturou ao catolicismo nordestino e aos cultos afros.
Quando pensamos em vodu, sempre nos vem à mente bonecos sendo espetados por agulhas. Este conceito pode ser visto até mesmo em um recente comercial de TV, onde uma garota faz uma magia contra um rapaz lançando mão de uma prática vodu. Contudo, esse grupo religioso misterioso envolve muito mais que isso.


Cerimoniais vodu


Geralmente, as cerimônias são realizadas no período noturno. Fazem parte do ritual: bebidas de rum, frutas e jarros de barros. As bebidas e comidas são erguidas e oferecidas aos loas, para invocá-los. No intuito de alegrar essas entidades, os voduístas lhes oferecem também sacrifícios de aves, porcos, galinhas, bodes. Após as oferendas com danças, os loas possuem os corpos de seus súditos. É interessante que nas possessões os indivíduos não possuem consciência daquilo que fazem e não se lembram de nada após o término do ritual.
No vodu, como na Umbanda, as danças em volta da ponteau-mitan são de suma importância, pois servem para se obter a espiritualidade: as pessoas que envolvem com a dança são mais rapidamente possuídas. Para cada divindade existe um tipo de música, instrumento e ritmos específicos, segundo o gosto de cada loa, que exige que tudo seja purificado e consagrado para o ritual.
As serpentes também fazem parte de alguns cerimoniais. No ritual chamado mambo, o réptil é retirado de um cesto e posto bem próximo do rosto da sacerdotisa que, ao tocar no animal, recebe, supostamente, visão especial e poderes sobrenaturais. Segundo a crença vodu, os primeiros homens criados eram cegos e foi justamente a serpente que conferiu visão à espécie humana.


E o que é um Zumbi?


Nas tradições vodu, um zumbi é: um ser humano a quem um bokor (sacerdote ou sacerdotisa) roubou o ti bon ange (alma menor). Este roubo é feito mediante técnicas de magia negra quando a pessoa está morrendo, e imediatamente depois de morrer. O ti bon ange é conservado em uma garrafa pelo ladrão, que a partir desse momento tem controle absoluto do corpo da pessoa morta. Esta carece de pensamento e controle autônomo, de modo que pode ser manejada como um escravo total e absoluto por parte do ladrão. Com o passar do tempo, o zumbi vai deteriorando-se, como se apodrecesse, e finalmente seu corpo acaba por morrer também. Em países onde esta religião é muito difundida é corrente dizer que pessoas de muito sucesso têm zumbis aos seus serviçosO zumbi se converte assim em escravo do houngan, servindo-o em um estado de transe cataléptico como ‘morto vivo’. Acredita-se que os ghede (espíritos dos mortos que usam chapéus de copa) também podem criar zumbis.


Contra o vodu


A prática vodu é feitiçaria sem maquilagem. A Bíblia identifica tais práticas como cultos demoníacos. A história relata que a igreja primitiva teve de ser submetida a constantes advertências por parte dos apóstolos porque os cristãos daquele tempo eram seduzidos a buscar nos feitiços e magias a “felicidade”. Hoje em dia, é isso o que constatamos entre aqueles que não têm suas vidas regidas pela Palavra de Deus. A Bíblia é expressa em apresentar sua oposição aos sacrifícios dos cultos afro-brasileiros ou voduístas: “Que digo pois? Que o sacrificado ao ídolo é alguma coisa? Ou que o próprio ídolo tem algum valor? Antes, digo que as coisas que eles sacrificam é a demônios que a sacrificam e não a Deus…” (1Co 10.19,20).
Para que possamos alcançar bênçãos, curas e outros benefícios, seja para nós ou para nossos amigos, parentes ou irmãos, não precisamos confeccionar nem “energizar” nenhum objeto, principalmente bonecos. Tampouco devemos ter medo de magias, pois a Bíblia nos assegura que contra os crentes o encantamento é inválido, não tem eficácia (Nm 23.23). Quando precisarmos de algo, devemos recorremos ao Senhor nosso Deus, colocando diante dele nossas necessidades (Mt 21.22; Mc 11.24). Somos purificados pela luz divina e não por meio de rituais tenebrosos; para tanto, devemos apenas andar na presença de Deus, mantendo comunhão uns com os outros. Agindo assim, o sangue de Jesus nos purifica de todo o pecado (1Jo 1.7).
Muitos brasileiros (inclusive alguns crentes, infelizmente) possuem certa tendência ao misticismo, o que os leva a assediar o oculto, e isso os torna vítimas de seus próprios desejos. Os crentes com essa tendência devem a todo custo resistir a tais ensinos e seguir a receita básica diária para a sua vida espiritual: leitura bíblica, oração, testemunho e santificação. Somente assim conseguirão sair vitoriosos diante das setas inflamadas do diabo.


Estes são alguns relatos adquiridos pra uma visão mais ampla sobre algumas seitas que estão no meio e nos não nos damos conta, pensamos que ate e uma simples brincadeira, mas esta por ai causando muito estrago, principalmente no meio cristão.
Aos interessados em saber mais sobre vodu e crenças ocultas, segue uma relação de obras interessantes e alguns sites:


Dicionário de religiões, crenças e ocultismo, de Nichols & Mather, Editora Vida, 2000.
O império das seitas, de Walter Martin, Editora Betânia, 1993.
Entendendo o oculto, de Mcdowell & Stewart, Editora Candeia, 1996.
Os fatos sobre os espíritos guias, de Ankerberg & Weldon, Chamada da Meia-Noite, 1996.
www.icp.com.br – Instituto Cristão de Pesquisas
www.cacp.com.br - Centro Apologético Cristão de Pesquisas.



Avalie Comente Marque como Favorito Recomende

Opiniões

1 Comentário(s).

Mostrando Opiniões




Comente

Somente usuários logados podem enviar opiniões...

Você já é um usuário cadastrado no site Sobrenatural.Org? Se sim, faça seu login abaixo. Caso contrário, clique aqui para efetuar o cadastro.

QUEM ENVIOU ESTE CONTEÚDO:

 Raizen

Raizen

Meu nome é Cristopher sou Paranormal já passei por varios momentos estranhos sobrenatural procuro pessoas para compartilha as Minhas Historias e aventuras paranormais


NOSSO CANAL NO YOUTUBE


ESPECIAL ASSOMBRADO.COM.BR


NOSSO BLOG



PUBLICIDADE

PRODUTOS DA LOJA SOBRENATURAL

DIRETO AO ASSUNTO

INTERATIVAIDADE

http://bs.serving-sys.com/BurstingPipe/adServer.bs?cn=tf&c=19&mc=imp&pli=8942288&PluID=0&ord=[timestamp]&rtu=-1